16.1.15

Capitulo 9

Oiii! Desculpa não ter postado antes,  se eu pudesse eu postava um capítulo atrás do outro. Kkkk. Bom, eu demorei pq estava escrevendo o capitulo para o outro blog. Aproveitem e comentem ♥

-------

Thomas estava parado perto das roseiras. Naquela noite, usava um terno e o luar se refletia nos cabelos, brincando com os ângulos do rosto, lançando sombras no maxilar bonito e no nariz longo e reto.

No outro lado, Joe estava sentado ao lado da piscina usando nada além de uma bermuda larga colorida. Ele correu os dedos pelos cabelos fartos molhados, espalhando gotas de água sobre o peito bronzeado e os bíceps bem torneados.

Os dois homens olharam para Demi enquanto ela caminhava na direção deles balançando os quadris.

— Ela é linda — disse Thomas.

— Sim — concordou Joe. — E é toda minha. Você estragou tudo, amigão.

Os olhos de Demi se abriram subitamente e ela ficou encarando o teto. O que estava acontecendo com ela? Mal conhecia Joe e, mesmo assim, bastava fechar os olhos e começava a sonhar com ele. Não uma vez, mas duas!

O coração bateu com força no peito quando ela percebeu que estava certamente perdendo o juízo. Não havia outra explicação. Joe não era o tipo dela. Ela não tinha atração por homens com o corpo bronzeado e músculos largos. Não gostava de dentes brancos ofuscantes e olhos brilhantes que piscavam com malícia. Não mesmo. Ela gostava de homens profissionais que levavam a vida um pouco mais a sério. Preferia um homem de terno que usasse o cérebro mais do que os músculos.

O relógio na mesa de cabeceira mostrava três horas.

Ela olhou novamente para o teto antes de olhar pela segunda vez para o relógio. Não podia ser três horas. Era pouco mais de nove horas da manhã na última vez em que acordara com o som das pessoas fazendo uma festa na cozinha. Se eram três horas, isso significava que dormira por seis horas seguidas. Ela nunca tirara um cochilo de seis horas na vida. Tentando não entrar em pânico, ela afastou a coberta, colocou as pernas para fora da cama, enfiou os pés nas pantufas enormes e encaminhou-se para a porta, escutando por um momento.

Nada. Nem um som.

Ryan. Onde estava Ryan?

Ela não passara tantas horas longe dele desde que ele nascera. Não adiantou. O pânico a atingiu como um raio, revirando-lhe as entranhas quando ela passou apressada pela porta e correu até a sala de estar. Onde estava todo mundo?

Ela correu para o quarto do bebê. Vazio.

Correu para a cozinha, onde viu um bilhete.

Levei Ryan para um passeio no parque. Espero que não se importe.

—D

Joe tirara o filho dela do apartamento.

Como ousara?

Parecia que havia chamas brancas e quentes saindo da ponta dos dedos dos pés, queimando a pele.

Ela correu para o quarto e sacudiu os pés até que uma das pantufas voasse pelo quarto. A outra desapareceu debaixo da cama. Ela vasculhou o armário até encontrar um par de tênis, que rapidamente enfiou nos pés. Um olhar para o espelho acima da cômoda fez com que desse uma corrida até o banheiro, onde jogou água no rosto, escovou os dentes e penteou os cabelos, prendendo-os em um rabo de cavalo.

A última coisa que fez antes de sair correndo pela porta foi pegar um blusão da pilha de roupas limpas sobre a cadeira de vime no canto do quarto.

~~~

Joe chegou à conclusão de que não podiam ter escolhido um dia melhor para visitar o parque. Chelsey era muito agradável, com o sorriso amplo e uma personalidade esfuziante. Sandy, por outro lado, continuava sendo uma noz dura de quebrar. Não importava o quanto ele fosse charmoso, ela não cedia.

Enquanto Sandy e Chelsey entregavam cupons às pessoas para que recebessem um desconto na revista Culinária para Todos, juntamente com amostras grátis do chili, Joe conversava com estranhos e dava autógrafos. Uma mulher com o filho andaram na direção dele. Joe se ajoelhou para que pudesse falar com o garoto. — Qual é o seu nome?

O garoto corou e entregou a ele um pedaço de papel rasgado de uma

revista. — Eddie.

— Quantos anos você tem, Eddie?

— Oito.

— Gosta de jogar futebol?

Ele balançou a cabeça. — Mamãe disse que eu não posso porque sou muito magro. Ela acha que os outros garotos vão quebrar os meus ossos.

— Você tem uma bola de futebol em casa?

Ele balançou a cabeça novamente dizendo que não.

Joe assinou "Hollywood" no pedaço de papel e rabiscou o endereço de e-mail dele abaixo da assinatura. — Mande o seu endereço para mim por e-mail e mandarei uma bola de futebol para você. Você não vai se machucar se praticar arremessos com os amigos.

O garoto sorriu e olhou para a mãe por sobre o ombro para ter certeza de que não havia problemas. Ela assentiu, acenando para que Eddie pegasse o papel e voltasse.

Uma mulher mais velha esperava pacientemente que ele autografasse um cupom que Sandy lhe dera para a edição de Culinária para Todos do mês seguinte. Ele o autografou e colocou o braço em torno dos ombros da mulher para que o marido dela tirasse uma fotografia. Em seguida, o casal trocou de lugar para tirar outra fotografia. Depois que eles foram embora, Joe olhou para o relógio. — São três horas — disse ele a Sandy e Chelsey quando elas terminaram de entregar o chili e os cupons. — É melhor voltarmos antes que Demi acorde e descubra que o apartamento está vazio.

— Demi adorará o que fizemos aqui — disse Chelsey. — Graças a você, distribuímos mais de 250 cupons de vinte por cento de desconto da edição do próximo mês. Também recebemos a aprovação de todas as pessoas que provaram o chili.

— Devo admitir — disse Sandy. — Foi uma ideia excelente. Sem querer ofender, Joe, mas eu não fazia ideia de que tantas pessoas sairiam do caminho para conhecer um jogador de futebol. Demi ficará muito contente.

— Não ofendeu — disse ele.

Joe se inclinou sobre o carrinho para verificar Ryan. Depois de todo mundo paparicá-lo pelas últimas duas horas, o bebê estava esgotado. A temperatura estava amena e era um dia perfeito para passear com o filho.

Quando Sandy e Chelsey comentaram que pretendiam distribuir amostras do chili e cupons de desconto no shopping center, ele sugerira a opção mais simples de levar o chili e os cupons para o parque. Foi o que fizeram e não demorara muito para que se espalhasse a notícia de que um

jogador de futebol profissional estava distribuindo chili de graça e tirando fotografias.

— Você tem muita audácia para sair com o meu filho sem me perguntar. Joe se virou ao ouvir a voz furiosa de Demi.

Chelsey colocou a mão no ombro de Demi. — A ideia foi minha — disse ela, tentando retirar a culpa de Joe. — E você não ficará furiosa quando souber o que ele fez pela revista. Centenas de pessoas descobriram que Hollywood estava na cidade e vieram aos montes, só com o boca a boca. Quando souberam que uma celebridade estava no parque distribuindo chili de graça e autógrafos, as pessoas continuaram vindo para cá. Foi incrível.

Joe estava prevendo a situação, mas a coitada da Chelsey ainda não vira o poder dos hormônios de uma mulher que acabara de dar à luz. Infelizmente, Chelsey veria os efeitos completos em primeira mão.

Demi se virou para ficar frente a frente com Chelsey, com o rosto a pouco centímetros dela. — Como isso foi ideia sua — disse ela —, você está despedida. Não precisa voltar ao apartamento. Enviarei os papéis de rescisão com o último cheque de pagamento.

Devia ser o horário de saída da escola, notou Joe, pois um grupo de adolescentes estava reunido a poucos metros. Eles apontavam e riam, falando sobre as roupas íntimas das duas mulheres.

Joe olhou Demi mais de perto. E lá estava, algo cor-de-rosa e rendado aparecendo por baixo do blusão dela. Ele estendeu a mão e pegou o que acabou sendo uma calcinha.

Os garotos riram mais ainda.

Demi afastou a mão dele sem se preocupar em ver o que ele estava fazendo. Estava ocupada demais destroçando Chelsey.

Joe colocou a calcinha no bolso dianteiro da calça.

— Está brincando? — perguntou Chelsey. — Olhe em volta, Demi. Acabamos de distribuir todos os cupons que tínhamos para a edição do próximo mês. Também recebemos muitos elogios na prova do chili que você quer colocar na capa da próxima edição. Não só isso, mas consegui algumas fotos incríveis para a capa que acho que você adorará. São três coisas fora da sua lista de coisas a fazer.

Demi apontou na direção da rua. — Vá.

— Mas...

— Ninguém sai com o meu bebê sem me perguntar. E, caso não tenha notado, eu sou a nova diretora editorial.

Joe torcia para que Sandy viesse resgatar Chelsey, mas ela estava distribuindo cupons para uma família fora do alcance da voz de Demi e

perdeu a comoção. Ele estava prestes a tentar ajudar Chelsey pessoalmente, mas três mulheres, todas segurando bebês, rodearam-no. Sem querer que estranhas completas vissem a crise de Demi, ele se virou para as mulheres e afastou-as alguns passos.

— Podemos tirar uma fotografia com você, sr. Jonas?

— Claro que sim. — Ele se posicionou no meio das mulheres e todos olharam para a câmera, que era operada por um homem que, Joe supôs, era o marido de uma delas.

— Estávamos observando você com o seu filho mais cedo. Ele é adorável.

— Notei que ele não está usando nada nos pés — disse a mulher de cabelos crespos. — Mesmo estando quente, ele deveria estar com os pés cobertos.

— Também notamos uma irritação na perna dele. Recomendo amido de milho para cuidar dela.

Elas começaram a dar conselhos todas de uma vez só. Ele assentiu enquanto tentava absorver tudo: que detergente usar para lavar as roupas de Ryan, a melhor marca de fraldas descartáveis e todos os outros itens infantis essenciais que deveria comprar, como berços e balanços.

Um dedo o atingiu na parte de trás do braço, fazendo com que ele se encolhesse. Ao olhar para a direita, não ficou surpreso ao ver Demi segurando Ryan e lançando-lhe um olhar que muito facilmente faria com que o próprio demônio se ajoelhasse e rastejasse.

Em vez de rastejar, ele colocou um braço sobre os ombros de Demi Lovato e puxou-a mais para perto. — Essa é Demi Lovato — disse ele às mulheres. — A mãe de Ryan e diretora editorial da revista Culinária para Todos.

— É mesmo? — disse a mulher de cabelos crespos ao estudar a roupa de Demi: moleton cinza desbotado completo, calças e blusão, com o desenho de um gato de olhos grandes usando uma gravata azul. — É a sua esposa?

A mulher ao lado dela corou devido ao comportamento da amiga e disse para Demi: — Estávamos justamente dizendo ao seu marido como o filho de vocês é adorável.

— Ele não é meu marido — rosnou Demi.

— Ah, desculpe-me, achei que era.

Demi abriu a boca para dizer algo, mas Ryan começou a chorar antes que ela pudesse dizer uma palavra, o que Joe achou uma coisa excelente. Não havia como saber o que poderia sair da boca de Demi. A julgar pelos sulcos profundos na testa dela, não seria nada agradável.

— Ele pode estar com cólicas — disse a terceira mulher, falando pela primeira vez. — Meu filho teve cólicas nos primeiros três meses. Foi horrível, pois eu não conseguia dormir e, por muito tempo, achei que o meu pequeno Nathan não gostava de mim.

Em um piscar de olhos, a expressão de Demi passou da fúria para a curiosidade. Ela olhou do rosto franzido e infeliz de Ryan para a mulher que acabara de falar. — Cólicas?

— O médico disse que Nathan tinha gases demais, o que causava cólicas dolorosas.

Demi entregou o bebê a Joe para que pudesse se aproximar e ouvir o que a mulher tinha a dizer. — O que você fez?

Joe segurou Ryan na curva do braço e sorriu para o rostinho franzido dele.

— Há muitas coisas que você pode tentar — disse a mulher a Demi. — Como manter os braços do bebê perto do corpo e embalá-lo gentilmente. Alguns bebês se sentem mais confortáveis se ficarem deitados de barriga para baixo, e você pode massagear as costas dele. Se tudo desse errado, eu ligava o rádio ou o aspirador de pó.

— O aspirador de pó? — perguntou Joe.

Ela assentiu. — Alguns bebês se acalmam com ruídos uniformes e consistentes.

— É verdade — disse a mulher de cabelos crespos. — A minha filha adorava ser balançada no carrinho. Quando isso não funcionava, eu a levava para um passeio de carro até que ela adormecesse.

Joe observou as feições de Demi se suavizarem. Ele supôs que ela ficou aliviada ao saber que outras pessoas tinham passado pela mesma coisa... e sobreviveram.

— A coisa mais importante — acrescentou uma das mulheres — é não levar o choro para o lado pessoal. Respire fundo e tente relaxar. Eu sei que não é fácil, mas você não pode ficar desesperada. As coisas vão melhorar.

Os ombros de Demi relaxaram quando ela deixou de lado parte da tensão acumulada de que as mulheres falavam.

— E não tenha medo de aceitar ou pedir ajuda de amigos e parentes.

Joe teve vontade de dizer "amém", mas permaneceu em silêncio.

— O médico dirá se o bebê está com cólicas — disse uma das mulheres ao dar um tapinha de leve no braço dele. — Quando é a sua próxima consulta?

Demi estendeu os braços em direção a Ryan e Joe o entregou a ela. — Ele terá a primeira consulta amanhã.

— Fique aqui — disse a mulher. – Vou pedir ao meu marido para anotar o número do meu telefone. Pode me ligar se tiver alguma pergunta ou algum problema.

A mulher se afastou correndo antes que Demi pudesse protestar.

Quinze minutos depois, Demi acenou em despedida para as novas amigas enquanto Joe ajudava Sandy a guardar a panela suja, as colheres de plástico e os copos não usados no porta-malas do carro dela.

— Recebi uma mensagem de Chelsey. Não acredito que Demi a tenha despedido — disse Sandy. — Já temos poucos funcionários como está.

— Eu não ficaria surpreso se Chelsey estiver de volta na folha de pagamento antes do fim do dia — disse ele.

— Espero que tenha razão. Também espero que perceba que isso é tudo culpa sua.

— O que eu fiz dessa vez?

— Despedir Chelsey não teve nada a ver com Ryan ser trazido para o parque sem a permissão dela. Teve tudo a ver com Chelsey flertando com você e você flertando de volta.

Joe fechou o porta-malas e deu uma longa gargalhada. — Você não deve conhecer Demi tão bem quanto pensa. Ela me detesta.

Sandy suspirou. — Eu conheço Demi melhor do que a maioria das pessoas e sei muito bem o que vi hoje. — Ela o encarou firmemente. — Se você a magoar de alguma forma, vou fazer tudo que estiver ao meu alcance para ajudá-la a mantê-lo afastado para o resto da vida.

— Eu entendo. Mas, como eu disse, você entendeu tudo errado. — Ele se virou para Demi e observou enquanto ela deitava Ryan no carrinho e rearrumava as mantas até parecer satisfeita. Quando terminou, ela se virou para ele e o olhar deles se encontrou. Os cantos da boca de Demi subiram ligeiramente, o rosto se iluminou como se sentisse prazer e algo mais que ele não notara antes. Será que Sandy estava certa?

7 comentários:

  1. Aaaah posta mais *-*
    Maraton dr novo *-*

    ResponderExcluir
  2. Tadinho do bb era cólica
    Posta logo
    Ana

    ResponderExcluir
  3. A Demi está gostando do Joe!! :D
    Só falta ele esquecer a Maggie, e eu acho que não vai demorar muito para isso acontecer.
    Posta mais por favor!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Agora a coisa tá ficando interessante, Demi já está começando a gostar do Joe e ele está começando a reparar mais nela. Ele só tem que esquecer de vez a Maggie.
    Posta logo!!

    ResponderExcluir
  5. Que bom que eram provavelmente apenas cólicas, eu já tava com pena da Demi! O Joe não pode ficar dando em cima da outra lá, mais respeito com a Demi!
    Posta Logo!

    ResponderExcluir