26.7.14

Subindo Pelas Paredes - Capitulo 10 - Maratona 9.10

 
~

Glossário:
*Aeroporto Internacional de San Francisco
* Cantor americano da  música é Let’s get in on” (Vamos deixar fluir). 
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=bEtx2YTcD94
*Série americana que passou de 1977 a 1984. 
**Mr. Ferley é um personagem da série Three’s Company. Mr. Ferley se imagina um "mulherengo"  apesar do fato de que ele não tem um encontro há anos.

Mensagens interceptadas entre Joe e Demi:

Você recebeu uma encomenda, eu assinei o recibo e ele está no meu apartamento.

Obrigado, vou buscá-lo quando eu estiver de volta. Como você está?

Bem, só trabalhando. Como estão os irlandeses?

Felizes. Como está o seu gato louco?

Feliz. Eu o peguei tentando escalar as paredes. Ele ainda está procurando a Purina. Ele sente falta dela.

Considerando a reação dela, eu não acho que um romance será possível entre os dois.

Provavelmente não... ele não vai esquecer sobre isso tão cedo. Eu acho que terei de aumentar a quantidade de catnip.

Não o encha de remédios. Ninguém gosta de um gato que não pode manter uma conversa.

Eu estou realmente com um pouco de medo de você...

Rindo alto. Não tenha medo, espere até que eu lhe ofereça doces para isso.

Se eu pegar você com um sobretudo, saio correndo para o outro lado! Quando você volta para casa?

Sentindo um pouco da minha falta?

Não, eu queria pendurar alguns quadros na parede atrás da minha cabeceira e eu estou querendo saber quanto tempo eu tenho. Eu provavelmente vou precisar prende-los muito profundamente...

Eu estarei em casa em 2 semanas. Se você puder esperar tanto tempo, eu vou ajudá-la. É o mínimo que posso fazer.

O mínimo, e eu vou esperar. Você fornece o martelo, eu forneço o coquetel.

Curiosa sobre o meu martelo, não?

Indo pelo corredor agora para chutar sua porta...

....

Mensagens interceptadas entre Miley e Demi:

Menina, adivinha? Selena descobriu que a casa dos seus avós está disponível no próximo mês. Estamos no nosso caminho para Tahoe baby!

Lindo! Isso vai ser bom, estou morrendo de vontade de sair com minhas amigas...

Na verdade, nós estávamos pensando em convidar os rapazes para irem junto... isso está bem para você?

Está ótimo, vocês terão um grande momento.

Idiota, obviamente, você ainda está convidada.

Aw brigadu! Eu adoraria ir junto e passar um fim de semana romântico com dois outros casais. FANTÁSTICO!

Não seja uma imbecil Demi. Você tem que ir. Você não vai ser uma quinta roda, vai ser muito divertido! Você sabia que Ryan toca guitarra? Ele vai trazê-la, podemos cantar juntas!

O que é isso... um acampamento, porra? Não, brigadu!

....

Mensagens interceptadas entre Miley e Neil:

Hey Grandão, o que você vai fazer no começo do próximo mês?

Hey Baixinha. Sem planos ainda, o que houve?

Os avós de Selena vão nos emprestar a casa em Tahoe, você quer ir? Chama o Ryan...

Porra! Eu estarei lá, vou perguntar a esse nerd se ele está dentro.

Tentei falar com Demi para que ela venha também.

Legal! Quanto mais, melhor. Nós ainda vamos nos encontrar para beber com Selena e Ryan hoje?

Sim, te vejo hoje à noite

Você também...

....

Mensagens interceptadas entre Joe e Neil:

Hey, quando você volta para casa? Nós vamos nos dirigir até Tahoe para um fim de semana no próximo mês

Eu estarei em casa na próxima semana, quem vai?

Selena e Miley, eu e Ryan. Talvez Demi. Ela é uma menina muito legal.

Yah, ela é muito legal quando ela não está empatando fodas. Tahoe hein?

Yep, os avós de Selena têm uma casa lá.

Legal!

....

Mensagens interceptadas entre Joe e Demi:

Você vai para Tahoe?

Como diabos você ouviu falar disso?

As palavras voam... Neil está bastante animado.

Oh, eu tenho certeza que ele está. Selena em uma banheira quente, não é muito difícil de imaginar.

Espere, eu pensei que ele estava saindo com sua amiguinha, Miley.

Oh, ele está, mas ele está mesmo é pensando sobre Selena em uma banheira quente, confie em mim.

Que diabos?

Coisas estranhas estão acontecendo em São Francisco. Eles estão namorando com as pessoas erradas.

O quê?

É realmente chocante quando você os vê todos juntos. Miley não consegue parar de falar de Ryan, que normalmente está olhando como um cachorrinho para ela. E então Selena está tão ocupada olhando para as mãos grandes do Neil, que ela não pode ver que ele está olhando de volta para ela. É muito engraçado.

Por que eles não trocam?

Diz o cara com o harém... não é tão fácil.

Espere até eu chegar em casa, vou cuidar disso.

OK Sr. Consertador. Antes ou depois de pendurar as minhas fotos?

Não se preocupe Garota da Camisola, eu estarei dando toda a atenção ao seu quarto. Suspira.

Você realmente digitou a palavra suspira?

Suspira...

Você irá a Tahoe?

Não se eu puder evitar. Embora fosse quase valer a pena assistir a merda que é certa de acontecer quando eles finalmente descobrirem isso.

De fato

....

Mensagens interceptadas entre Demi e Selena:

O que é isto que ouvi sobre você não ir a Tahoe? Ugh! Qual é a grande merda? Tigresa, quem está segurando sua bunda?

Eu não sei por que é essencial que eu acompanhe todos vocês em um romântico fim de semana, eu estarei perfeitamente feliz de ir na próxima vez.

Não vai ser assim, eu prometo.

Eu já tenho que ouvir o Bate-Parede quando ele está em casa, eu não preciso ouvir Ryan perfurando você no quarto ao lado, ou Miley sendo maltratada.

Você acha que ele está maltratando ela?

O quê?

Neil. Você acha que ele está... mandando ver com ela?

Ele está o quê?

Oh, você sabe o que quero dizer...

Selena, você realmente está me perguntando se a nossa querida amiga Miley está fodendo com seu novo brinquedo?

Sim! Estou perguntando!

Já que é assim, não, eles não estão "mandando ver" ainda...Espere um minuto, porque você está me perguntando isso? Você não está fodendo com Ryan ainda?

Tenho que ir.

....

Mensagens interceptadas entre Selena e Ryan:

É estranho que sempre saiamos em encontros duplos com Miley e Neil?

O quê?

É estranho?

Eu não sei, não é?

Sim, é. Hoje à noite você irá subir, sozinho, e iremos assistir a um filme.

Sim senhora.

E antes, pergunte ao seu amigo Joe se ele vai a Tahoe.

Qualquer razão específica para que eu esteja fazendo isso?

Sim.

Você pode explicar?

Não. Traga pipoca.

....

Mensagens interceptadas entre Joe e Ryan:

Você não está cansado de verde ainda?

Estou pronto para voltar para casa, sim, meu vôo chega amanhã à noite. Ou hoje à noite.

Selena pediu-me para perguntar se você quer ir para Tahoe, você vai?

Tahoe hein...

Sim. Eu acho que Demi também vai.

Ela não disse que não ia?

Você está falando com a Empata Foda?

Sim, um pouco.

Ela é muito legal, a trégua parece estar durando. Hmmm. Então, Tahoe?

Deixe-me pensar sobre isso. Windsurf neste fim de semana?

Ok.

....

Mensagens interceptadas entre Joe e Demi:

Então, eu fui convidado para a coisa em Tahoe, você irá?

Você foi convidado? Que merda...

Acho que você ainda não comprou a idéia?

Eu não sei, eu adoro ir até lá, e a casa é muito fantástica. Você vai?

Perguntei primeiro. Então?

Crianças. Sim, acho que vai acabar acontecendo. Legal! Eu amo aquele lugar.

Oh, você vai agora?

Posso ir, parece que vai ser divertido. Hmm, vamos ver. Em casa amanhã?

Sim, chego a noite e depois vou dormir durante pelo menos um dia.

Deixe-me saber quando você chegar em casa, eu tenho uma encomenda para você.

Vou avisar.

E eu estou cozinhando pão de abobrinha esta noite, eu vou guardar alguns para você. Você provavelmente não tem mantimento em casa, certo?

Você faz pão de abobrinha?

Sim

Suspira...

JOE POV

Sentei-me na parte de trás do táxi, lutando para manter os olhos abertos. Eu havia pousado no SFO* atrasado, os vôos se atrasaram em todo o país. Mesmo que eu sempre pagasse a tarifa extra para a primeira classe em viagens ao estrangeiro, eu nunca conseguia dormir em um avião.

Nunca. Nunca.

Então, depois de voar por 14 horas, essencialmente, e meu corpo não tinha idéia do que era um fuso horário, eu estava exausto. Eu estava pronto para um chuveiro e cama, e era isso. Arrastei-me até as escadas, parando para jogar um sorriso por meu ombro enquanto eu olhava para a porta do outro lado do corredor. Eu lutei com a compunção infantil de chutá-la, e entrei em meu próprio apartamento. Deixei minhas malas, tirei meu casaco, camisa e a calça da viagem de mil milhas da porta na entrada para o banheiro. Arrastei os pés por todo o piso de madeira, as calças em torno dos tornozelos enquanto eu bocejava. Tirei os sapatos, meias e, finalmente, a cueca quando eu pisei sob a água quente. Eu quase engasguei, adormecendo debaixo da água morna. Eu rapidamente ensaboei-me, lavado me sequei com a toalha o meu cabelo o deixando com ondas gigantes como asas de gaivotas no meu caminho para o quarto.

Boxer limpa? Confere.

Travesseiro fofinho debaixo da minha cabeça? Confere.

Sorriso idiota por eu-estar-tão-feliz-de-estar-na-minha-própria-cama no meu rosto? Confere!

Suspirei cansado e deixei o sono me levar. Venha sono.

Vamos sono, me leve. Estava muito tranqüilo.

Sentei-me e olhei para o toca-discos em cima da mesa.

Eu me arrastei para trás para fora da cama e fiquei no escuro tentando selecionar algumas músicas.

Duke Ellington.

A agulha bateu no disco, minha cabeça bateu no travesseiro, e eu estava apagado antes da primeira música acabar.

DEMI POV

Acordei de repente, ouvindo a música que vinha da parede ao lado. Olhei para o relógio e vi que era mais de duas da manhã. Clive enfiou a cabeça debaixo do cobertor e assobiou quando ouviu a música.

- Oh, cale a boca, não seja ciumento - Eu assobiei de volta, e ele olhou para mim, me mostrando seu bumbum quando ele se virou para trás para debaixo das cobertas, enfiando a cabeça primeiro.

Eu me aninhei mais profundamente debaixo das cobertas, sorrindo, enquanto ouvia a música.

Bate-Parede estava em casa.

Na manhã seguinte, quando eu acordei, eu estava tão feliz que era um sábado. Era um daqueles dias em que você estava livre de tudo, não tinha roupa para lavar, sem missões para cumprir, apenas um dia para desfrutar e relaxar. Fantástico.

Eu decidi começar com um bom banho longo, e então eu decidiria o que eu iria querer fazer com meu dia. Eu estava planejando uma corrida no Golden Gate Park para aquela tarde. As árvores eram tão bonitas lá, a luz era tão maravilhosa, que eu até poderia pegar um livro e passar a tarde inteira lá depois de minha corrida.

Comecei o banho e Clive entrou no banheiro para me fazer companhia. Ele andou por dentro e fora das minhas pernas enquanto deixei o meu pijama cair no chão, miando quando ele explorou o topo da banheira. Ele gostava de se equilibrar na borda da banheira, enquanto eu tomava banho. Ele nunca tinha caído, embora às vezes ele molhasse o seu rabo. Gato bobo, um destes dias ele ia mergulhar mais que sua cauda...

Eu testei a água. Estava quase na metade da altura do lado da banheira, quando eu decidi que precisava de um pouco de café antes de eu me acomodar dentro e saí para a cozinha, nua e como o dia seria longo me servi um copo. Eu bocejei enquanto media o feijão que eu cultivava em minha Kitchenaid falecida. Realmente, porque eu não tinha tido forças para jogar a antiga Kitchenaid, e isso estava além de mim. Se Jillian decidisse me despedir, eu tinha certeza de que eu poderia convencer o povo da Kitchenaid a me contratar.

Joguei algumas colheradas para dentro do filtro e fui pegar um pote de água. Assim que eu abri a torneira, eu ouvi a começar a chiar.

Ouvi Clive miar como eu nunca tinha ouvido antes e depois ouvi um espirro. Eu comecei a sorrir quando eu percebi que ele tinha finalmente caído, quando a água da pia deu um tiro certeiro na minha cara.

Pisquei furiosamente, confusa até que percebi que a água estava atirando para os lados da torneira, pulverizando a cozinha inteira.

- MERDA! - Eu gritei, tentando desligá-la. Não tive sorte.

Corri para o banheiro, e ainda gritando palavrões vi Clive se escondendo atrás da cortina, todo molhado, e a torneira da cuba pulverizando descontroladamente para o banheiro.

- Que porra é essa! - Eu chorei, tentando desligar a água de lá também. Comecei a entrar em pânico quando percebi que não iria desligar também. Era como se todo o apartamento estivesse quebrando todo ao mesmo tempo, tinha pulverização de água em toda parte, e Clive ainda estava gritando a plenos pulmões.

Estava nua, ensopada, e entrando em pânico.

- FILHA DA PUTA COISA DE MERDA PORRA, PORRA! - Eu gritei e peguei uma toalha.

Eu tentei me acalmar, pensando que devia haver em algum lugar uma válvula de corte. Eu tinha redesenhado banheiros por causa disso, Cristo, pense Demi!

Foi nessa hora que ouvi um barulho vindo de algum lugar no apartamento. É claro que eu pensei que vinha do primeiro quarto, naturalmente. Mas não, era a porta da frente.

Envolvendo a toalha em volta de mim e ainda amaldiçoando o suficiente para fazer um marinheiro corar, eu pisei sobre o chão, felizmente não escorregando na água que já estava empossada no chão com raiva e abri a porta.

Claro que era a porra do Bate-Parede.

- Você está fora de sua maldita mente? Porque você está gritando? - ele gemeu e eu praticamente não notei a boxer xadrez verde, o cabelo de sono, ou seu abdômen.

O modo de Sobrevivência balançou em foco, e eu agarrei-o pelo braço enquanto ele estava limpando seus olhos e o arrastei à força para dentro do apartamento.

- Onde é a porra da válvula de corte desses apartamentos? - Eu gritei enquanto olhava em volta para o caos. A água espirrava da cozinha, a água no chão do banheiro, e eu na minha toalha do Acampamento Snoopy, que foi a primeira que eu peguei.

Mãe de pérola, mesmo em uma crise o Bate-Parede levou 2,5 segundos para olhar para o meu corpo quase nu. Ok, eu posso ter gastado 3,2 olhando para o dele.

Então nós dois entramos em ação. Ele correu para o banheiro como um homem em uma missão, e eu podia ouvi-lo batendo ao redor. Clive assobiou e saiu correndo, direto para a cozinha.

Percebendo que estava molhado ali, ele pulou do outro lado da sala em um ataque acrobático e desembarcou no alto da geladeira, seguro por enquanto. Comecei a correr para o banheiro para ajudar e colidi com Joe enquanto ele corria para a cozinha e abriu as portas embaixo da pia. Ele começou a jogar meus produtos de limpeza por todo o chão, tentando chegar ao que eu assumi ser a válvula de corte, e eu tentei não notar o caminho que a sua cueca se agarrava aos seus pães. Ele estava coberto de água, bem no momento que os seus pés saíram de debaixo dele, derrubando-o ao chão.

- Ow. - Eu ouvi de debaixo da pia, com as pernas agora espalhadas por todo o meu chão da cozinha molhada, quando ele capotou. Ele agora estava todo molhado e um pouquinho glorioso. - Vem aqui e me ajude, eu não posso desligar isso assim - gritou sobre o ruído da água e os miados de gato.

Lembrando que eu estava apenas em uma toalha, eu cautelosamente me ajoelhei ao lado dele e tentei evitar olhar para seu corpo. Seu corpo molhado, muito bom, que estava perigosamente perto do meu.

Um jato de água vindo aleatoriamente direto no meu olho foi suficiente para tirar-me do meu torpor e me atentar.

- O que você quer que eu faça? - Eu gritei.

- Você tem uma chave?

- Sim!

- Você pode ir buscá-la?

- Claro!

- Por que você está gritando?

- Eu não sei!

Eu sentei lá, tentando ver embaixo da pia.

- Bem, vá buscá-la pelo amor de Deus! - ele gritou.

- Certo. certo! - Eu respondi de volta e sai correndo para o armário da sala.

Quando voltei, me ajoelhei novamente, escorregando um pouco na cerâmica molhada e deslizando ao lado dele.

- Aqui - eu gritei e enfiei a chave debaixo da pia.

Eu o assisti trabalhar, com o rosto escondido. Seus braços estavam esticando, e eu vi o quão forte ele era realmente. Eu vi com espanto sua barriga endurecer e me mostrar os 6 pacotes pequenos. Oops, faça disso 8. E então o V apareceu. Olá V...

Ele resmungou e gemeu e quando ele se esforçava para desligar a válvula, seu corpo inteiro foi pego na luta. Eu assisti enquanto ele lutou na batalha com a válvula e, finalmente, foi vitorioso. Eu também mantive um olhar atento sobre sua boxer xadrez verde, que quando molhada, agarrava a ele como uma segunda pele. Pele que estava molhada e, provavelmente, quente e cheirava a...

- Consegui!

- Viva! - Eu bati palmas quando a água finalmente parou. Ele soltou um gemido que parecia estranhamente familiar e, em seguida, seu corpo relaxou. Eu assisti enquanto ele deslizou para fora sob a pia.

Ele se deitou ao meu lado no chão, encharcado e em sua cueca. Sentei-me ao lado dele, encharcada, nua, e com uma toalha. Clive sentou em cima da geladeira, molhado e furioso. Ele continuou a gritar / miar e nós continuamos a nos olhar. Joe estava respirando pesadamente depois de sua batalha, e eu estava respirando pesado também. Por sua batalha. Clive pulou da geladeira até o balcão e derrapou por todo o balcão. Ele bateu em meu rádio, saltou fora dele, e caiu no chão.

Marvin Gaye* tocou alto na cozinha úmida, quando Clive sacudiu-se e correu para a sala. Marvin cantou para nós, e Joe e eu nos olhamos, ambos com nossas faces tingidas de vermelho.

- Você está brincando comigo? - Eu disse.

- Isto é real? - ele disse quando ambos começamos a rir.

No caos, no ridículo, a loucura pura que tinha acontecido e o fato de que nós estávamos ambos agora quase pelados na minha cozinha, coberta de água, ouvindo uma música que estava incentivando-nos, de fato, "a deixar fluir", e rindo com nossas bundas achatadas.

Finalmente me endireitei primeiro, enxugando as lágrimas dos meus olhos. Ele estava sentado perto de mim ainda segurando seu estômago.

- Isso é como um episódio ruim de Three's Company* - ele riu.

- Não brinque, eu espero alguém chamado Mr. Ferley** - eu ri, tentando segurar minha toalha a apertando em volta de mim.

- Vamos começar a limpar? - perguntou ele em pé. Notei que sua boxer, e qualquer coisa que pudesse estar contida dentro, estavam agora ao nível dos meus olhos.

Calma Demi...

- Sim, acho que deveríamos - eu ri de novo quando ele estendeu a mão para ajudar-me. Eu não consegui ganhar toda a tração, então ele me segurou com as mãos, enquanto os meus pés continuaram a escorregar por debaixo de mim, e eu comecei a rir novamente.

- Isso nunca vai funcionar - ele resmungou e me carregou. Ele me levou para a sala e me colocou para baixo.

- Olhe isso, o Snoopy se inclinou um pouco - brincou ele, apontando para a parte que cobria os os seios da Demi.

- Você ama isso, só não sabe - brincou de costas, puxando-a mais apertado.

- Eu vou trocar de roupa e eu vou trazer algumas toalhas para você. Tente ficar fora de problemas - ele piscou e foi para o seu apartamento. Eu ri de novo e fiz meu caminho de volta para o quarto onde Clive era agora apenas uma bola nos cobertores. Olhei no espelho meu armário enquanto eu procurava algo para vestir. Estava positivamente brilhando.

Uma hora mais tarde e as coisas estavam sob controle novamente. Limpamos toda a água, deixamos as pessoas saberem lá em baixo, caso houvesse qualquer vazamento, e ligamos para o rapaz da manutenção. Infelizmente, não era o Sr. Ferley. Eu teria amado se Ralph tivesse que lidar com essa comédia de erros.

- Mas que desgraça fodida! - Eu chorei, afundando no sofá.

- Poderia ter sido pior. Você poderia ter tido que lidar com isso depois de apenas três horas de sono, e ser acordada por uma mulher gritando no alto de seus pulmões - brincou ele, sentando no braço do sofá. Eu arqueei uma sobrancelha para ele e ele se retratou.

- Ok, mau exemplo, já que o cenário é algo que você está familiarizada. O que você vai fazer agora?

- Eu não sei, eu preciso ficar aqui e esperar o cara para consertar essa bagunça. Entretanto, estou sem água, o que significa que não há café, nem chuveiro, nem nada. Saco - eu murmurei, cruzando os braços em meu peito e deslizando mais para baixo no sofá.

- Bem, eu acho que estarei do outro lado da sala, tomando café e pensando no meu chuveiro, se você precisar de alguma coisa... - ele provocou, parado na porta.

- Idiota, você vai ter que me fazer café.

- Você vai me levar até o chuveiro também?

- Você não vai estar lá comigo, você sabe.

- Eu acho que você pode ter um de qualquer maneira, vamos Bate Porta - ele bufou, me puxando para cima do sofá e me guiando pelo corredor. Clive lançou mais um grito de raiva para mim de lá do quarto e eu rolei meus olhos para ele.

- Opa, espera. Deixe-me pegar o café da manhã - Eu falei, arrancando o pano que embrulhava o pacote na mesa.

- O que é isso? - ele perguntou sobre seu ombro.

- Pão de abobrinha - eu respondi.

Eu juro que ele quase mordeu seu lábio inferior. Ele devia realmente gostar de pão de abobrinha.

Trinta minutos mais tarde, eu estava sentada na mesa da cozinha de Joe, os pés enrolados debaixo de mim, bebendo café francês e pressionando uma toalha para secar meu cabelo. Ele parecia muito relaxado e feliz. Eu acho que ele tinha devorado todo o pão de abobrinha. Eu mal tinha comido meia fatia antes que ele o levou para longe de mim, o pedaço inteiro desapareceu em sua boca.

Ele se empurrou para longe da mesa e gemeu, acariciando sua barriga cheia.

- Você quer mais pão? Assei muito pouco para sua gula - eu comentei, franzindo o nariz para ele.

- Vou aceitar qualquer coisa que você quiser me dar Garota da Camisola - ele piscou e deixou escapar um arroto pequeno.

- Agora isso é sexy - franzi a testa e eu levei a minha xícara de café para a sala. Ele me seguiu, olhando para o corredor para ver se o cara manutenção não tinha aparecido ainda.

- Obrigado, as garotas parecem gostar - ele respondeu de volta, e sentou-se no seu confortável sofá grande. Eu vaguei pela sala, olhando para todos os seus quadros. Ele tinha uma série de pretos e brancos em uma parede, eram fotos da mesma mulher em uma praia. Mãos, pés, barriga, ombros, costas, pernas, pés e, finalmente, um de apenas seu rosto. Ela era linda.

- Isso é lindo, é do seu harém? - Eu o provoquei, olhando para ele. Ele suspirou e passou a mão pelos cabelos.

- Nem todas as mulheres fazem uma viagem à minha cama, você sabe - ele murmurou.

- Eu sei, eu estou brincando. Onde foram estas fotos? - Eu perguntei, sentando-me ao lado dele.

- Em uma praia de Bora Bora. Eu estava trabalhando em uma série de fotografias de viagens, das mais belas praias do Sul do Pacífico, muito estilo retro. Mas ela estava na praia um dia, e a luz estava perfeita, e eu perguntei-lhe se eu poderia tirar algumas fotos dela. Ficaram ótimas.

- Ela é linda - eu respondi, caindo sobre o sofá ao lado dele, tomando meu café.

- Sim, sim, ela é - ele concordou com um sorriso doce.

Nós bebemos em silêncio, calmos e bem com estar quietos.

- Então o que você estava pensando em fazer hoje? - ele perguntou.

- Você quer dizer antes dos meus tubos se revoltarem?

- Sim, antes do ataque - ele sorriu ao longo da borda da caneca, piscando os olhos verdes.

- Eu não tinha planejado nada, na verdade, e isso era uma coisa boa. Eu estava indo para uma corrida, talvez sentar e ler esta tarde - eu suspirei, sentindo-me confortável e acolhida e aconchegada. - E você?

- Eu estava pensando em dormir o dia inteiro antes de lidar com uma montanha de roupa.

- Você pode ir dormir você sabe, eu posso esperar no meu próprio apartamento - eu respondi, começando a levantar-me. Coitado, ele tinha chegado tarde e eu estava atrapalhando seu sono.

Ele acenou para eu parar e apontou para o sofá.

- Eu sei melhor ainda, se eu dormir vou ficar sonolento por toda a semana. Eu preciso voltar ao fuso horário do Pacífico logo que eu puder, por isso foi provavelmente uma boa coisa suas tubulações terem atacado.

- Hmm, eu acho. Então, como foi a Irlanda? Bons tempos? - Eu perguntei, voltando.

- Bons tempos, sim, embora eu sempre tenha um bom tempo quando eu estou viajando.-

- Deus, é um trabalho incrível. Eu adoraria ser capaz de viajar para viver assim, vivendo fora com uma mala, vendo o mundo pelo meu trabalho, incrível... - Eu sumi, olhando ao redor da sala novamente em todas as fotos. Eu localizei uma prateleira na parede delgada agora, com garrafas pequenas sobre ela.

- O que é aquilo? - Eu perguntei, movendo-me através da sala para a prateleira, curiosa. Cada uma delas continha o que parecia ser areia. Algumas eram brancas, algumas cinzentas, algumas cor-de-rosa, algumas quase pretas. Cada uma delas tinha um pequeno rótulo sobre ela. Eu parei um pouco quando o vi se mover atrás de mim, seu hálito quente em meu ouvido.

- Toda vez que eu visito uma nova praia, eu trago de volta um pouco de areia. Como um lembrete de onde eu estava, quando eu estava lá - ele respondeu, sua voz grave e melancólica.

Olhei mais de perto das garrafas e me maravilhei com os nomes que eu vi.

Harbour Island, Bahamas, Prince William Sound, Alaska, Havaí, Punaluu, Islândia, Vik, Sanur, Fiji, Espanha, Galiza, Patura Turquia.

- Incrível, e você foi a todos esses lugares?

- Hmm Mmm

- E por que trazer de volta a areia? Por que não postais, ou melhor ainda, os retratos que você tira? Não é o suficiente para um souvenir? - Eu perguntei, virando-me para olhar para ele.

- Eu tiro fotos, porque eu amo, e isso passa a ser o meu trabalho. Mas isso? Isso é palpável, é tátil, isto é real. Eu posso sentir isto, esta é a areia que eu estava realmente em pé, de todos os continentes do planeta. Ela me leva de volta para lá, imediatamente - respondeu ele, com os olhos ficando totalmente sonhadores.

A partir de qualquer outro indivíduo, em qualquer outro ambiente, teria sido tédio puro. Mas, vindo do Bate-Parede? O rapaz foi profundo... caramba.

Meus dedos continuaram a passar sobre todas as garrafas, quase mais do que eu poderia contar.

Meus dedos demoraram na da Espanha, e ele percebeu.

- Huh Espanha? - ele perguntou. Eu me virei para olhar para ele.

- Sim, Espanha. Sempre quis ir, eu vou, algum dia - eu suspirei e cruzei de volta ao sofá.

- Você viaja muito? - perguntou ele, afundando perto de mim novamente.

- Tento ir a algum lugar a cada ano, não tão fantasiosa quanto você, ou na mesma frequência, mas eu tento me levar em algum lugar a cada ano.

- Você e as meninas? - ele sorriu.

- Às vezes, mas nos últimos anos eu sempre viajo sozinha. Há algo agradável sobre ser capaz de definir seu próprio ritmo, ir onde quiser e não ter que passar por uma comissão cada vez que você quiser sair para jantar, você sabe?

- Eu entendo, eu só estou surpreso - disse ele, franzindo a testa um pouco em mim.

- Surpreendido que eu queira viajar sozinha? Você está brincando, isso é demais! - Eu chorei.

- Inferno, você não aceita nenhum argumento de mim. Estou apenas surpreso. A maioria das pessoas não gosta de viajar sozinhas, muito solitário, muito intimidante. E elas acham que vão se sentir sozinhas.

- Você se sente solitário? - Eu perguntei.

- Eu disse a você, eu nunca estou sozinho - respondeu ele, levantando uma sobrancelha.

- Sim, sim, eu sei, diz o Bate-Parede, mas eu tenho que dizer que acho que um pouco difícil de acreditar - pensei, torcendo uma mecha de cabelo quase seca em volta do meu dedo.

- Você se sente sozinha? - ele perguntou.

- Quando eu estou viajando? Não, eu sou uma boa companhia - eu respondi prontamente.

- Eu odeio admitir, mas eu concordo com isso - respondeu ele, erguendo a caneca na minha direção. Eu sorri e corei ligeiramente, odiando-me quando eu fiz isso.

- Wow, estamos nos tornando amigos? - Eu perguntei.

- Hmm, amigos... - pensou cuidadosamente, examinando a mim e meu estado atual de rubor.

- Sim, eu penso que nós estamos.

- Interessante. De Empata Foda para amiga, não é ruim - eu ri, e toquei a sua caneca com a minha própria.

- Oh, continuo a analisar se você ainda está em seu status Empata Foda - brincou ele, varrendo um fio de cabelo fora do meu rosto.

- Bem, só me dê um aviso antes que a Surrada venha da próxima vez, ok amigo? - Eu ri da sua expressão confusa.

- Surrada?

- Ah sim, bem, você sabe que é a Kate - eu ri mais. Ele finalmente teve a decência de corar e dar um sorriso envergonhado.

- Bem como acontece, Srta. Kate está fora do harém.

- Oh não! Eu gostava dela! Você bateu muito forte nela? - Eu brinquei de novo, minha risada começando a ficar fora de controle. Ele correu as mãos pelos cabelos freneticamente.

- Eu tenho que dizer que esta é francamente a conversa mais estranha que eu já tive com uma mulher.

- Duvido disso, mas a sério, pra onde Kate foi?

Ele sorriu discretamente.

- Kate conheceu alguém, e parece realmente feliz. Então, nós terminamos nosso relacionamento físico, claro, mas ela ainda é uma boa amiga.

- Bem, isso é bom - concordei, e fiquei em silêncio por um momento. - Como isso funciona realmente?

- Como o que funciona?

- Bem, você tem que admitir que seus relacionamentos não são convencionais na melhor das hipóteses. Como você faz isso? Mantém todo mundo feliz? - Eu estimulei. Ele riu da minha interrogação.

- Você não está mesmo perguntando como eu satisfaço essas mulheres, não é? - ele sorriu.

- Claro que não, tenho ouvido como você faz isso! Não parece haver qualquer dúvida sobre isso. Quero dizer, como é que ninguém se machuca?

Ele pensou por um momento.

- Acho que é porque somos honestos sobre isso. Não é como se alguém se propôs a criar este pequeno mundo, ele simplesmente aconteceu. Kate e eu sempre nos demos muito bem, principalmente desta forma, por isso, só criamos essa relação. Eu estou muito ocupado para qualquer namoro real, e a maioria das mulheres não quer ficar com um namorado que está em todo o mundo com mais freqüência do que ele está em casa.

- Eu posso ver isso, mas eu acho que você iria se sentir diferente se a mulher certa aparecesse.

- Você é uma romântica, não é? - ele inclinou-se, batendo contra meu ombro.

- Eu sou uma romântica prática. Na verdade, eu posso ver a vantagem de ter um cara que viaja muito, porque, francamente? Eu gosto do meu espaço. Eu uso também toda a cama, então é difícil para eu dormir com alguém - Eu balancei a cabeça tristemente, lembrando da rapidez com que eu chutava meus ficantes para a calçada. Na reflexão, algumas partes do meu passado não eram tão diferentes de Joe, ele só tinha suas escapadas sexuais amarradas em um arranjo muito mais puro.

- Uma romântica prática, interessante. E quanto a você, namorando alguém? - ele perguntou.

- Não, e eu estou ok com isso.

- Sério?

- Por que ninguém acredita nisso? É tão difícil acreditar que uma mulher sexy com uma grande carreira não precisa de um homem para ser feliz? - Eu perguntei.

- Primeiro de tudo, é legal você se chamar de quente e sexy... porque é verdade. É bom ver uma mulher se dar um elogio ao invés de procurar por um. E em segundo lugar, eu não estou falando de casar aqui, eu estou falando de namoro. Você sabe, sair? casualmente?

- Você está me perguntando se eu estou fodendo alguém agora? - Eu respondi e ele balbuciou em seu café.

- Definitivamente essa é a conversa mais estranha que eu já tive com uma mulher - ele murmurou.

- Uma mulher quente e sexy - eu o lembrei.

- Isso é uma maldita certeza.

Nós ambos sorrimos um para o outro, tendo um bom tempo com esta grande honestidade. Nós dois fomos assustados pela batida na minha porta através da sala. O cara da manutenção estava finalmente lá.

- Obrigado pelo café, e pelo chuveiro, e a ajuda com os canos - disse eu, me esticando enquanto eu caminhava em direção à porta. Eu acenei para o cara no corredor, e ergui um dedo para que ele soubesse que eu estava indo.

- Não tem problema, esse não foi o melhor jeito de ser acordado, mas eu suponho que você me deve uma - ele sorriu.

- Na verdade eu devo, mas obrigado de qualquer maneira.

- Você é bem vinda e obrigado pelo pão, estava ótimo. E se acontecer de outra fatia fazer o seu caminho até aqui, isso seria bom.

- Eu vou ver o que posso fazer. E ei, cadê minha camisola?

- Você sabe como aquilo é caro?

- Pffft, eu quero a minha camisola! - Eu gritei, batendo-lhe no peito.

- Bem, acontece que eu lhe trouxe alguma coisa, como uma espécie de presente de agradecimento-pelos-chutes-atuais-em-minha-porta.

- Eu sabia, você pode trazê-lo mais tarde - Eu sorri e atravessei o corredor para deixar o cara entrar. Eu o levei em direção à cozinha, e depois voltei para Joe. - Amigos não é?

- Parece que sim.

- Eu posso viver com isso - eu sorri, e fechei a porta.

Eu mostrei o problema ao cara da manutenção, e ele começou a corrigi-lo.

Caminhei para o meu quarto para verificar Clive, e vi que meu telefone estava piscando. Eu tinha uma mensagem do Bate-Parede. Eu ri, e me deitei na cama, aconchegando um gatinho ainda assustado ao meu lado. Ele começou a ronronar imediatamente.

Você nunca respondeu à minha pergunta...

Senti o calor em minha pele até que percebi ao que ele estava se referindo. Minha pele ficou realmente quente e formigou mas por toda parte. E de um jeito bom.

Sobre se eu estou fodendo com alguém?

Jesus isso é um terror. Mas sim, amigos podem perguntar isso, não podem?

Sim, eles podem.

Então?

Você é um tipo de pessoa insistente, você sabe disso né?

Diga-me, não fique tímida comigo agora...

Como acontece, não. Eu não estou...

Eu ouvi um barulho no apartamento ao lado, e em seguida uma ligeira batida na parede.

Que diabos você está fazendo? Isso é a sua cabeça?

Você está me matando Garota da Camisola...

Assim que eu terminei de ler sua última mensagem, as batidas recomeçaram.

Eu ri alto, quando ele continuou a bater sua cabeça contra a parede. Eu coloquei minha mão na parede sobre a minha cama, onde estava concentrada a batida e ri novamente.

Mas que manhã estranha...
 
 ~
 
Melhores apelidos de uma fic Jemi né Juh??? hahaha eu acho que vai ficar marcado, pra mim na verdade, já está, Bate Parede e Garota da Camisola kkkkkk Obrigada pelos comentários meninas <3
 
DIVULGANDO:
 
 
Sigam, Comentem e acompanhe o blog da Flávia, a primeira fic dela é maravilhosa e vcs irão amar essa que ela está postando agora tbm, Beijoos <3

3 comentários:

  1. amaaaaaaaaaaaaaaaaando a maratona >.< perfeita

    possta logoo

    ResponderExcluir
  2. Não para não, posta mais hj por favor...... Perfeita essa fic..... estou adorando.....

    ResponderExcluir