18.8.14

Prólogo - Seu Melhor Erro

 
~

Trata-se de uma anemia aplástica... pode ser fatal...

Como ex-colunista de uma proeminente revista de esportes, Joe Jonas possuía um vasto vocabulário. Mas as palavras anemia aplástica não significavam nada para ele. Fatal, certamente sim.

Nem cinco minutos atrás ele estava no seu apartamento de Houston, fazendo as malas para uma viagem, depois de conseguir uma rara entrevis­ta com um famoso jogador de futebol. Agora, seu irmão médico estava lhe dizendo que ele podia estar morrendo.

De modo algum aquilo podia estar lhe acontecendo agora. Joe tinha uma grande profissão, que lhe custara anos para construir. Estava envolvi­do num relacionamento de oito meses com uma mulher que passara a sig­nificar mais para ele do que algum dia pensara ser possível. Tinha apenas 35 anos e muita coisa para fazer antes de morrer. Mas, considerando a aparência do rosto de Kevin, ele não podia ter muita escolha no que se referia ao assunto.

Precisando sentar-se rapidamente, Joe tirou um jornal de cima de sua espreguiçadeira favorita.

Você tem certeza disso?

Absoluta. Depois de tomar um lugar no sofá, Kevin inclinou-se para a frente e disse: Você está com um nível perigosamente baixo de células sanguíneas vermelhas e brancas, e de plaquetas. Isso significa que está na classificação moderada da doença.

Joe pensou sobre como ele levara a vida no limite, a fim de alcançar proeminência no seu campo, e como algumas vezes abria mão do sono. Também cometera mais do que suas cotas de erros ao longo do caminho.

O que causou isso, pelo amor de Deus?

É idiopático, o que significa causa desconhecida. Só acontecem aproximadamente três casos para cada milhão de pessoas neste país anualmente.

Sorte minha.

Então eu simplesmente fico sentado, esperando a morte, ou há algo que você pode fazer para resolver isso?

Eu sou médico plantonista, Joe, e você um parente, portanto, não pos­so tratá-lo. Apenas concordei em pedir o exame de laboratório como um favor, quando você começou a ter fadiga e o nariz sangrando. Mas conhe­ço um bom hematologista que cuidará do seu caso.

Joe começou a ficar com raiva. Raiva direcionada ao irmão, que estava decidido a abandoná-lo, o que não era muito lógico. Mas ele não podia perceber lógica naquele momento.

Levantando-se, começou a andar de um lado para o outro.

Não pode me dizer alguma coisa sobre o que estou enfrentando, Kev,ou mamãe e papai desperdiçaram todo aquele dinheiro nos seus estudos?

Seu irmão levantou as mãos com as palmas para a frente.

Calma, Joe.

Se ele tivesse mais energia, atravessaria a parede com um soco.

Tente permanecer calmo quando alguém acaba de lhe decretar uma sentença de morte.

Isto não precisa ser uma sentença de morte. Você pode fazer um transplante de medula óssea.

Depois de dar alguns suspiros profundos, Joe retomou seu lugar na espreguiçadeira.

O que isso envolve?

Você terá de ser submetido a um processo para destruir toda a sua medula óssea antes do transplante. Isso envolve duas semanas de quimio­terapia. Pós-transplante, necessitará de seis meses a um ano para se recu­perar. Precisará limitar seu contato com o público em geral, até que seu sistema imunológico volte ao normal.

Além de um grande cansaço, Joe não se sentia tão doente. Entre­tanto, não tinha intenção de deixar que a doença interferisse no seu trabalho.

De modo algum posso considerar o transplante por no mínimo três meses. Os campeonatos de futebol começam em algumas semanas e tenho pelo menos dez entrevistas agendadas. Necessito ganhar a vida.

Não se estiver morto.

A declaração do irmão golpeou-o em cheio.

Não existe um remédio que posso tomar para deter isso?

Kevin suspirou.

Você pode fazer transfusões por alguns meses, mas isso é apenas paliativo, não uma cura. Mais cedo ou mais tarde terá de fazer o transplan­te, a fim de sobreviver.

Pelo menos isso era algo positivo. Mas ele ainda tinha perguntas a fazer.

Esse transplante garante a cura?

Nada é cem por cento garantido, Joe. A preparação do próprio transplante envolve riscos. Mas se quiser arriscar uma recuperação com­pleta, é sua única alternativa. Felizmente, você tem um gêmeo idêntico, que é uma combinação genética perfeita de possível doador.

Não uma opção. Não quando ele quase não falava com seu irmão nos últimos anos.

Não vou pedir a Nick para fazer isso, e, mesmo se eu pedisse, ele não concordaria. Dê-me outra escolha.

Podemos fazer testes em outros irmãos para ver se são compatíveis, e eu também estaria disposto a ser testado. Ou você pode procurar por alguém compatível através de registro de doadores fora do parentesco. Mas, com qualquer dessas opções, você está aumentando suas chances de rejeição.

Não posso esperar que nenhum de vocês vire a vida de cabeça para baixo por mim, portanto, vou arriscar e recorrer ao cadastro de doadores.

Kevin parecia tão frustrado quanto Joe.

Você está excluindo a família, como sempre, Joe. Não seja tão teimoso.

Estou sendo prático.

Praticidade sempre lhe fora útil no que dizia respeito a mascarar suas emoções. E, agora, suas emoções estavam passando de fúria para medo. Mas medo era contraproducente, e ele jurou não se render ao sentimento.

Não tenho tempo para lidar com isso agora. Preciso pegar um avião em menos de duas horas, e tenho uma entrevista daqui a aproxi­madamente quatro horas. Qualquer coisa para afastar sua mente da notícia.

Cancele a viagem e arranje alguém para ir em seu lugar, Joe. Até que vá ao hematologista e decida um plano de tratamento, seu sistema imunológico não pode suportar a mais leve infecçâo. Aviões são terrenos férteis para infecções.

Ótimo. Ele não somente havia sido apresentado à perspectiva de perder sua vida, como também podia perder seu emprego.

Eu trabalhei duro para ser bem-sucedido na revista para jogar tudo fora agora.

Um pouco de rejeição é esperada nessa situação, mas é melhor você começar a encarar a realidade... e logo. Está doente e não tem nenhuma chance de melhorar, a não ser que receba a atenção médica necessária.

A mente dele queria rejeitar aquela realidade, mas seu instinto lhe dizia que era melhor aceitar o conselho do irmão.

Cancelarei a viagem.

Ótimo disse Kevin quando ele se levantou. Ligarei para o hematologista e pedirei que o atenda amanhã. Nesse ínterim, você deveria falar com mamãe e papai, porque vai precisar de todo apoio possível, es­pecialmente durante a fase da quimioterapia. É um período duro.

Se ele contasse aos pais agora, sua mãe imediatamente assumiria o modo superprotetor, exatamente o que fazia desde o dia que ele nascera e fora o gêmeo frágil. Ele preferiria evitar aquela cena pelo máximo de tem­po possível.

Esperarei para contar aos nossos pais até saber exatamente o que vai acontecer em seguida.

Certo, mas não espere muito tempo, Joe. E há mais uma coisa que precisa saber. Você tem cinquenta por cento de chance de ficar estéril, por causa da quimioterapia. Se seu relacionamento com sua namorada está firme, precisa discutir isso com ela. Todavia, uma vez que ela é médica, será ca­paz de ajudá-lo a obter todas as informações.

Naquele momento, Joe estava sobrecarregado de informações, mas uma coisa ficara bem claro: não podia sobrecarregar Demi com seus pro­blemas, não quando ela estava tão perto de concluir seus estudos. Não quando ele poderia não ser capaz de dar-lhe uma coisa que ela sempre dissera que queria... muitos filhos. Mais importante: se o tratamento fa­lhasse, ele não gostaria que ela o visse morrer.

Demi e eu rompemos a relação. Uma mentira, mas ele planejava tornar isso verdadeiro, e logo.

Lamento que não deu certo disse Kevin. E sinto muito por não tê-la conhecido. Ouvi dizer que é uma boa mulher.

Ela era mais do que isso. Era a melhor coisa que já havia acontecido a Joe.

Kevin caminhou para a saída, mas parou antes de abrir a porta.

Eu o informarei mais tarde sobre o horário de sua consulta. Tente descansar, e ligue se precisar de mim, mesmo que seja só para conversar.

Obrigado, Kev. Gostei de ouvir isso.

Não duvido. E mais uma coisa: é normal estar com medo.

Quando Joe não conseguiu dar uma resposta, seu irmão saiu, deixan­do-o sozinho para planejar o que precisava fazer em seguida, e que envol­via dar diversos telefonemas.

Ele pensou em cancelar seu vôo primeiro e contatar a revista depois. Mas uma ligação era prioritária sobre as outras, e também a que ele mais temia.

Melhor acabar logo com aquilo, antes que tivesse tempo para reconsi­derar. Foi para o escritório, pegou o telefone, segurou o aparelho com for­ça por alguns segundos, antes discar o número que o conectaria com o hospital onde Demi passava a maior parte de seu tempo.

Depois de diversos toques, ela cumprimentou-o com seu usual:

Dra. Lovato.

Apenas o som da voz dela encheu-o com opressivo remorso.

Oi, Demi. Aqui é Joe.

Eu não esperava notícias suas tão breve. Pelo que me contou esta amanhã, pensei que estivesse a caminho de Dallas agora. Seu voo está atrasado?

Não. Eu somente quis falar com você.

Estou feliz por ter ligado. Isso me dá a chance de me despedir de você duas vezes num dia.

Ele queria dizer permanentemente, e isso o estava dilacerando.

Há uma coisa que preciso lhe dizer.

Está tudo bem, Joe? Você parece estranho.

Ele estava qualquer coisa, menos bem. Talvez nunca mais ficasse bem.

Ouça, Demi. Estive pensando, e a verdade é que minha vida está louca no momento, e a sua também. Decidi que é melhor nós darmos um tempo.

Houve um silêncio antes que ela dissesse:

Um tempo? Ou você quer romper a nossa relação?

Ele apresentou todas as velhas desculpas que mantinha à mão como jeans usado.

Está ficando sério demais entre nós. Não estou pronto para firmar­mos a relação, e duvido que você esteja também.

Entendo: Então este é o famoso discurso de rompimento. Teria sido mais bonito de sua parte se tivesse sido menos covarde e falado isso pessoalmente.

Se Joe fizesse isso, Demi sentiria que ele estava mentindo, e talvez ele acabasse se entregando.

Estou ocupado, Demi.

Mas não tão ocupado para me levar numa viagem de quatro dias num resort uma semana atrás? Ela soltou uma risada amarga. O que foi aquilo, Joe? Uma despedida com estilo? E todas as coisas que você disse sobre o quanto gostava de mim? Eu nunca deveria ter acreditado em você.

Na ocasião, ele tinha sido sincero em todas as palavras que dissera. Meu Deus, ainda sentia tudo aquilo.

Eu realmente gosto de você, Demi.

E eu o odeio por fazer isso comigo, Joe.

Ele podia sentir a tristeza na voz dela e desprezou a si mesmo por ser o causador.

Sinto muito. Uma declaração totalmente inadequada, mas a única coisa que ele poderia dizer.

Também sinto muito. Sinto por termos nos conhecido, e por você ser um grande patife. Que Deus proteja a próxima mulher que se envolver com você.

Quando ela desligou o telefone, Joe experimentou uma terrível sen­sação de perda que nunca conhecera. Embora ainda acreditasse que não tinha outra alternativa, senão abrir mão de Demi, não pôde deixar de se questionar se não acabara de cometer o maior erro de sua vida.

Da vida que lhe restava.


~
 
Oiii, muito obrigada as meninas que comentaram no meu posta anterior <3 eu espero que vocês gostem muito dessa fic, ela é bem fofa, e eu prometo postar bem rápido para compensar o tempo que eu passei sem postar aqui nesse blog.... Beijooos e comentem, quanto mais rápido comentarem, mais rápido eu postarei <3
 
Eu amo vocês *--*

5 comentários:

  1. postaaa mais! adorei o prologo

    ResponderExcluir
  2. Aí meu Deus eu simplesmente amei *--*
    E to feliz que você voltou :)
    Estou ansiosa pelo capítulo u.u
    Posta mais :)
    Fabiola Barboza :*

    ResponderExcluir